Saneamento é saúde! A Companhia de Saneamento desempenha uma função nobre e essencial na sociedade para o momento de controle da pandemia. Por isso, se manter com os serviços ativos, mas em segurança é fundamental para quem trabalha nessas empresas e para a população que busca se preservar neste momento. Então, as Companhias recorrem ao uso da tecnologia e de serviços especializados que ajudam elas a não tirarem o foco do que é primordial: levar água a toda a população.

Eu tive o prazer de conversar com o Maturino Rabello Junior, Leandro de Oliveira Simões e João Batista Guimarães Nunes que trabalham no DMAE – Departamento Municipal de Água e Esgotos de Porto Alegre/RS que já usam serviços de gestão de clientes a distância desde 2011 e neste bate papo eles contaram pra mim o que esse projeto, que existe há anos, tem contribuído para o momento tão desafiador da pandemia.

  1. Qual foi o principal benefício que o DMAE esperava ao buscar soluções para a gestão do cliente à distância?

Resposta: sempre focamos na redução das perdas APARENTES e o acompanhamento dos consumos e vazões à distância possibilitou agilizar a tomada de ações, as quais resultam em consequente incremento do faturamento.

  1. Neste momento de Pandemia você entende que a gestão remota dos clientes oferece algum benefício para o DMAE?

Resposta: o monitoramento dos consumos dos grandes consumidores permite execução de ações para mitigar a redução da arrecadação, diante da queda de consumo de água nas categorias comerciais, além de dispensar a interação do “leiturista” com o usuário, fato que corrobora com a orientação de distanciamento social, tão enfatizada pelas organizações mundiais como sendo uma das principais para redução da velocidade de contagio da COVID-19.

  1. Como você enxerga o futuro desta tecnologia e deste tipo de prestação de serviço?

Resposta: existe no Saneamento um enorme mercado para aplicação de tecnologias de telemetria, seja para controle e monitoramento dos diversos elementos e dispositivos operacionais e redes de distribuição, seja para gestão do consumo do cliente final. Entendo, com a crescente oferta de novas tecnologias de IoT (Internet das coisas), que as companhias de saneamento poderão ampliar substancialmente a aplicação destas tecnologias, por meio de contratação de serviços, gestão por desempenho ou parceria, modalidades que podem oferecer soluções completas, que contemplem o fornecimento de equipamentos, captação, transmissão e disponibilização dos dados, bem como a gestão propriamente dita.

Especificamente no DMAE vejo que tais soluções podem ser aplicadas para ampliar a leitura remota e gestão do consumo de água para clientes de médio porte.

  1. Para o cliente final, o usuário da água, qual o benefício em ser monitorado?

Resposta: maior acuracidade na medição do consumo de água, mediante a redução dos erros de leitura e redução da emissão de contas por média, possibilitado acesso a alertas/alarmes antes indisponíveis, além de dispensar a interação do “leiturista” com o usuário, como já mencionado.

  1. Outros setores do DMAE também são beneficiados com esse projeto?

Resposta: especificamente no projeto de monitoramento de grandes consumidores, existe interação com a área responsável pela análise e emissão das contas, uma vez que o faturamento é baseado na informação coletada e disponibilizada pelo sistema de telemetria, além da área operacional que tem acesso a dados de pressão em determinados pontos de interesse.

  1. Como seria se o DMAE não tivesse buscado a contratação deste tipo de serviço?

Resposta: em relação aos grandes consumidores (3.000) a implantação do sistema de telemetria garantiu a precisão da leitura e o consequente faturamento dentro das expectativas, bem como possibilitou o conhecimento do perfil de consumo destes clientes, que representam até 30% do consumo faturado do DMAE. Entendo que teríamos grande dificuldade de em relação aos pontos acima mencionados, caso o processo continuasse da forma convencional, isto é: leitura presencial e análise dos consumos medidos por relatórios defasados, que nos levaria possivelmente a redução no volume e valores faturados, ainda mais se considerarmos a crescente carência de pessoal.

  1. Quais são as tecnologias de comunicação remota que o DMAE utiliza ou que já testou?

Resposta: Atualmente utilizamos:

Pequenos consumidores – Leitura por RF de ramais 7.893 no sistema “walking by”, sendo 6.114 habilitados para emissão simultânea de contas.

Grandes consumidores – Leitura por GRPS de 3.000 clientes, com gestão de consumo e análise de desempenho dos medidores.

  1. Que vantagens, você considera, que o DMAE tem ao contratar o serviço como um todo ao invés de adquirir os equipamentos para gestão própria?

Resposta:

  • Ampliação da capacidade de gestão e da execução dos serviços;
  • Redução de custos administrativos para elaboração, realização e controle de diversos processos licitatórios e consequente gestão dos diversos contratos;
  • Otimização das tarefas de campo;
  • Redução dos custos de armazenamento e controle de estoques;
  • Possibilita direcionar esforços para implementar ações de melhoria do negócio, no nosso caso, na redução das perdas APARENTES.
  1. O monitoramento de clientes a distância ajuda a Companhia a “salvar” a água visto que ela é tão essencial para o momento atual de Pandemia?

Resposta: considerando que os 3.000 ramais dos grandes consumidores representam até 30% do consumo geral, o controle sobre os volumes micro medidos é fundamental neste momento. Desta forma há auxílio na gestão das perdas.

  1. O DMAE já foi procurado por outras Companhias para conhecer esse projeto? Como é o processo para quem deseja conhecer mais de perto?

Resposta: como estamos desde 2011 aplicando a modalidade de contratação de serviços de telemetria em grandes consumidores, ao longo deste período realizamos vários encontros de “Benchmarking”, com companhias de saneamento estaduais e municipais, do Rio Grande do Sul (COMUSA, SAMAE, CORSAN) e de outros estados (SABESP, SANEAGO, CAGECE, CAESB, AGUAS GUARIROBA).

Os interessados podem enviar e-mail para o nosso canal de atendimento: correio.geral@dmae.prefpoa.com.br, solicitando a visita, com exposição de motivos. Exceto neste período de pandemia, onde as reuniões presenciais não estão ocorrendo. Também disponibilizo meu e-mail: maturino@dmae.prefpoa.com.br para contato.

Maturino é Coordenador de Micromedição, atua no DMAE há 32 anos e é formado em Engenharia Civil com especializações em Saneamento Básico.

Leandro é Coordenador de Leitura, atua no DMAE há 16 anos e é formado em Administração.

João Batista é Gerente de Gestão do Consumo, atua há 18 anos no DMAE e é formado em Engenharia Civil.

Gustavo Guzman
Gerente Regional de Vendas - Itron, Inc.
Gustavo Guzman é Gerente Regional de Vendas da Itron e atua no time de Vendas Diretas - América do Sul.

Começou sua carreira em 2002 como menor aprendiz na área de Recursos Humanos, na transição de Schlumberger para Actaris. Em 2006 foi convidado para atuar na área comercial dando suporte ao time de Vendas e logo em 2007 foi efetivado como Vendedor Técnico Junior. Desde então, atua na área de Vendas atendendo Companhias de Saneamento do Brasil como por exemplo, SABESP, SANEPAR, COPASA, AEGEA, ÁGUAS DO BRASIL, entre outras.

Gustavo é formado em Administração pela Centro Universitário Salesiano de São Paulo – UNISAL, com MBA em Gestão Comercial pela Escola de Ensino Superior de Administração, Comunicação e Marketing – ESAMC, e tem especializações em Vendas pelo Instituto Educacional de Vendas – IEV.